Clipping > Notícias


‘Não espere de mim apenas poesias’ é o novo livro de Leide Moreira

Lançamento terá recital com leitura de poesias e música no auditório da Folha de S.Paulo

Depois de sete anos, Leide Moreira, 67 anos, portadora de Esclerose Lateral Amiotrófica, volta ao mercado com “Não espere de mim apenas poesias”, seu terceiro livro, escrito com o auxílio de uma tabela visual, já que a autora perdeu todos os movimentos do corpo, em 2005, quando descobriu a doença, sobrando-lhe apenas o movimento dos olhos.

O livro tem mais de 200 poesias, propositalmente situadas nas páginas da direita, enquanto as da esquerda trazem seus comentários sobre os mais diversos assuntos. Conforme destaca sua filha e produtora, Leide Jacob, no prefácio do livro, a intenção era mostrar que elas se relacionam às mais variadas emoções e situações vivenciadas no dia a dia, e “emergem em meio aos enfrentamentos de uma infinidade de obstáculos”.

Ela conta que desde que ficou doente a mãe nunca deixou de ter ciência e autonomia em relação aos menores detalhes do que acontece na sua casa e que a administra controlando as doses dos remédios que toma ou ensinando as cuidadoras a melhor forma de piscar seus olhos para que eles se mantenham lubrificados. Esses bastidores são relatados sem nenhuma edição, da mesma maneira que as poesias são reproduzidas sem pontuação, para respeitar o estilo de autora e o seu universo singular.

“A força de transgredir, de superar e esperar, como nos relata em suas poesias, nos dá também ânimo de seguir seu exemplo, como um modelo de procura pelo estado subjetivo de felicidade”, afirma Solange Muglia Weschler, psicóloga, professora da Pós graduação da PUC-Campinas, fundadora da Associação Brasileira de Criatividade e Inovação, especialista em talentos, altas habilidades e criatividade.

Cesar S. Moreira Jr, filho de Leide, também psicólogo, em texto introdutório, apresenta a tabela utilizada por Leide, explicando como a mesma é manuseada por suas cuidadoras.

“Não espere de mim apenas poesias”, tem capa do artista plástico Antonio Peticov, que faz uma releitura da imagem do olho de Leide, a partir de foto produzida por Vânia Toledo, inserindo-o em um céu noturno estrelado, destacando-o com uma lupa, para remeter à ideia de “mergulho” em seu universo.

A obra ainda conta com ilustrações dos netos Gabriel e Pedro Moreira Jacob e duas versões, uma em papel e a outra digital, que não serão colocadas à venda. “A intenção nunca foi essa e sim disponibilizar as poesias e a história da minha mãe para o maior número de pessoas”, revela a filha Leide. A versão em PDF estará disponível no site da autora ( www.leidemoreira.com.br ) após o lançamento.

O primeiro livro “Letras da Minha Emoção”, foi lançado em 2006, e continha poesias anteriores e pós-ELA. O segundo, “Poesias para me sentir viva”, publicado em versão bilíngüe, em 2008, contava com 60 poesias, todas produzidas com a tabela visual por meio de código ocular.

Lançamento será um happening

O lançamento do livro ocorrerá no Auditório do Jornal Folha de São Paulo, no dia 27 de agosto, às 20h. Haverá um recital de lançamento, dirigido pelo ator Donizeti Mazonas, e estrelado pelas atrizes Gilda Nomacce e Dani Smith. O espetáculo vai contar ainda com os músicos Elder Costa e Rafael Toledo, que apresentarão composições feitas a partir das poesias de Leide.

Patrocínio e apoio

“Não espere de mim apenas poesias” conta com o patrocínio da área de Doenças Raras da Pfizer e da Casa Hunter – Associação Brasileira dos Portadores da Doença de Hunter e Outras Doenças Raras. Os apoiadores são a Interfarma – Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa e também a AbrELA – Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica.

Mais sobre Leide Moreira e ELA

Logo depois de fazer uma pesquisa na internet com as palavras “perda de movimentos”, a advogada Leide confessou para a filha que esperava não ser portadora da esclerose lateral amiotrófica. Tinha então perto de 56 anos e levava uma vida absolutamente normal, como advogada e sócia da Leide Moreira Marketing Cultural, empresa especializada no desenvolvimento de projetos culturais. Gostava particularmente de fazer caminhadas e exercícios físicos.

Também conhecida pela sigla ELA, a doença se caracteriza pela degeneração dos neurônios motores responsáveis pelos movimentos de contração e relaxamento muscular, resultando em conseqüente paralisia motora incapacitante, com comprometimento progressivo. A doença só não afeta o raciocínio, a visão , a audição, o tato, o paladar e o olfato, embora a traqueostomia, comum nesses casos, resulte em prejuízos a esses dois.

Como os músculos do globo ocular são mais resistentes, Leide possui um discreto movimento voluntário, por meio do qual é realizada sua comunicação.

 

FLORES

Flores brancas e amarelas

Gosto de tê-las em minha janela

Flores à mesa da sala

Vermelhas para decorar

Flores na sacada

Para me alegrar

Flores cultivo em meu jardim

Tenho todas para mim

 

POEMA E POESIA

Dou o melhor de mim

Escrevendo tudo enfim

Busco a melhora

Em todas as formas

Buscando alegria

Tudo vira poesia

Revelando o meu dilema

Tudo transformo em poema

Leide Moreira

 

Mais informações

Inês Martins

Tikun Comunicação

Tel: (0XX11) 983318269

Deixe um comentário